Maria Poesia

Sonhos, Poesia e Psicologia

Textos


Animais nos nossos Sonhos.
O que significam?


O animal é a tradução mais pura da nossa alma como ser encarnado e com a função de sobreviver.
Quando se sonha com um animal, a ele estão associadas as características do próprio sonhador.
As qualidades e defeitos do animal são os pontos a se potencializar ou minimizar em nossas vidas.

Basta responder às perguntas: com qual animal nos identicamos?
Nos  identificamos porquê?
Ou, ao contrário, quais são suas qualidades, e a que animal você as associaria?

Uma abordagem muito interessante sobre isto pode ser visto no filme "A Bússola de Ouro", onde existe um mundo dimensional, em que cada pessoa tem sua alma na forma de um animal, que a acompanha, chamado "daemon".
Os adultos têm um único animal como “daemon”, enquanto que as crianças (com personalidade ainda em desenvolvimento) têm “daemons transmorfos”.

Quem já não ouviu a frase "- Soltar a fera dentro de você"?
Isto significa soltar as amarras do Ego,  que prendem a livre expressão da alma.
 
Animais selvagens nos sonhos podem representar impulsos básicos incontroláveis.

Muitas vezes sonhamos com animais sobre os quais o homem não tem controle, e pode se ver à mercê deles, num hipotético encontro.

Ao pensarmos na imagem onírica, uma reflexão que pode ser feita, é imaginar-se em um ambiente selvagem, e topando de frente com a fera dos sonhos.
O que você sente com relação ao animal? É capaz de prever sua reação?

Assim são nossos instintos quando não conhecidos por nós.
Eles são importantíssimos na nossa vida, mas quando os conhecemos e integralizamos na nossa vida, mas quando consciente.

Mas o que fazemos muitas vezes é jogá-los nas jaulas da nossa mente, para que não saiam fazendo estragos em nosso mundo controlado por nossas polí­ticas de conví­vio social.
Esta atitude de tão repetida pode se tornar automática  e inconsciente.


Vou citar um exemplo:
Nossa raiva.
É normal sentir raiva?
É.
É comum sentirmos raiva?
É.
Algumas pessoas mais , outras menos,
Depende do nosso jeito de enfrentar situações, depende das circunstâncias, mas depende principalmente do nosso autoconhecimento.
Por quê?
Porque se nós conhecermos o nosso “metron” instintivo dela,(da raiva) – em nós, - vamos conversar com ela, vamos perceber o quanto , e , como ela pode aflorar(descontroladamente).

Porque todos nós , enfrentamos cotidianamente, situações onde temos vontade de abrir nossos dentes, e dar uma mordida ou meter as garras no que nos incomoda,não é?
Com certeza, cada um de nós já sentiu, sente ou vai sentir esta vontade.
Mas.
Não fazemos isto, ou engolimos, ou buscamos uma máscara para nos proteger, ou afloramos nossos instintos básicos, e partimos para ignorância , como se fala.
Porque ignorância?
Porque neste caso, estamos apenas deixando fluir o que desconhecemos de nós, e que depois mais tarde, vamos nos arrepender, pois podemos ter perdas consideráveis por conta deste descontrole emocional.

Qual é a solução então?
É saber que podemos ficar muito “bravos” e evitar confrontos.

Quando adolescente/ início da vida adulta,  meu terapeuta costumava me dizer.
Teresa, não responda nada de agressivo que fizerem contigo,ignore,(na hora) , e deixe o que te incomodou no oxigênio, pelo tempo necessário, até que possas dar uma resposta, (ou verbal ou em atitudes) tranqüila, expondo teu ponto de vista, com a tua verdade, contudo sem qualquer  agressão.
Desde então tenho tentado fazer, e estou gostando,(para falar a verdade nem sempre consigo- mas tento.)

O simbolismo animal está profundamente gravado em nosso inconsciente coletivo.
Herdamos sentimentos e recordações inconscientes, que condicionam nosso comportamento consciente.
 
Nas religiões antigas existem registros de rituais do homem e do animal em todos os hemisférios.
Exemplos como Ganesha, a divindade hindú, forma humana com cabeça de elefante; no Egito, Thot, forma humana com cabeça de falcão; o peixe e a ovelha no cristianismo.
 
Na mitologia grega, entre os fenícios, maias, astecas, indios norte-americanos, na Siberia, nos cultos africanos, no Perú, entre os aborígenes australianos, entre os esquimós, índios brasileiros, no taoísmo e etc.
 
Na astrologia os símbolos astrológicos são animais.
Na astrologia chinesa idem.
Nos chacras, há para cada vórtice um animal que carrega o bija ( O Mantra Semente ) .
A Kundalini é representada por uma serpente
 
Enfim, o animal age por instinto.
E o que é o instinto senão inteligência natural e básica da qual o homem deve ter se valido pra sobreviver possuído em idades remotas?

É certo que as relações entre o homem e o animal - outrora mais respeitosas, sem dúvida - degradaram-se com o tempo.

O drama do ser humano é que ele só age a partir de sua racionalidade orgulhosa, e se esquece de sua inteligência emocional , a qual, não obstante, é o que há de melhor nele.

( E lá dentro moram nossos mais puros instintos, é bom que nunca nos esqueçamos  disto, e quando esquecemos, nossos sonhos nos lembram, ufaaaaaaaa, ainda bem!)

 

 
Texto construído em parceria com meu amigo Rolivers.



Maria Poesia 09.03.2009.

Este artigo foi formatado, tendo como substrato, as teorias e experiências do Psiquiatra Suíço Carl Gustav Jung.

Outros artigos sobre Sonhos, anexo links:(Para abrir pausar o mouse e clicar no título)
 
 
Sonhar com casa, banheiro e cozinha - o que significa?

Sonhos Premonitórios:
 
Sonhar com Morte – O que significa?
 



 
 

 

 

Maria Poesia e Rolivers
Enviado por Maria Poesia em 09/03/2009
Alterado em 05/08/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Sonhos, Poesia e Psicologia